A Warner Bros. tinha uma tarefa difícil nas mãos no começo de 2019: divulgar um filme que, apesar de pertencer a uma das maiores franquias infantojuvenis de todo o mundo, tinha uma proposta completamente diferente do resto da série. "Detetive Pikachu" não só mistura atores em carne e osso com os monstrinhos criados no Japão em 1996, mas também traz uma história diferente no cinema, de mistério e com um Pikachu falante.

Essa dificuldade faz com que o bom trabalho da produtora seja ainda mais reconhecido, já que ela usou ensinamentos de marketing como estratégia de divulgação. E deu certo: segundo o site Box Office Mojo, o filme arrecadou mais de US$ 295 milhões em 2 semanas de exibição, o que significa aproximadamentre o dobro do orçamento gasto. Mas, afinal, quais foram os trunfos dessa divulgação?

Viralizando pelo motivo certo

Talvez o maior segredo de "Detetive Pikachu" antes da estreia no cinema tenha sido o marketing diferenciado, com muito bom humor e elementos metalinguísticos. O filme "sabe" que é uma produção fora do padrão e brinca com isso, ao mesmo tempo despertando a curiosidade do espectador.

Ryan Reynolds, que faz a voz de Pikachu na versão original em inglês, esteve diretamente envolvido nessa campanha e foi um dos fatores diferenciais. Com experiência no marketing de outro filme que recorre bastante ao humor, a adaptação de quadrinhos "Deadpool", o ator participou da divulgação inclusive com uma publicação nada convencional nas redes sociais.

Reynolds publicou no Twitter um link para o que seria o filme completo de Detetive Pikachu no YouTube. Na verdade, o vídeo tem 1 hora e 40 minutos de duração, mas mostra apenas o protagonista dançando em looping na tela. Frustração para o público? Nada disso: o vídeo gerou 20 milhões de visualizações e comentário muito bem-humorados.

Saber aproveitar a produção de conteúdo é uma lição importante para uma empresa que deseja divulgar um produto ou resultados. Tudo isso gera espaço na mídia para o filme que vai além da simples divulgação de trailers, por exemplo.

O marketing de Pokémon

Outra característica da estratégica de divulgação de "Detetive Pikachu" é ter em mãos — e saber usar bem — o material de uma franquia já consagrada, com gerações de fãs e um universo bem estabelecido.

A Warner Bros. conseguiu agradar o público de todas as idades. Quem curte Pokémon desde os primeiros jogos ou episódios do desenho animado foi capturado pelo espírito de nostalgia, revendo elementos da série que gera tanto carinho. Já o público mais jovem encontra uma trama cheia de ação, bom humor e lições de vida. Equilíbrio para agradar dois lados bem extermos, mas igualmente importantes para a bilheteria.

Em um dos vídeos de divulgação, o elenco do filme leu postagens de fãs no Twitter com bom humor e elogio — inclusive reforçando a mistura entre adjetivos como "bom" e "esquisito".

Em outro vídeo, personagens de Pokémon simulam um teste falso de elenco, como se estivessem de fato participando da escalação para o longa-metragem. Tiro certo nos fãs da saga.

Saber aproveitar o marketing de conteúdo como estratégia é essencial na divulgação e pode ser um diferencial positivo, que aumenta ainda mais o desempenho de um produto. E, apesar de Detetive Pikachu e da franquia Pokémon formarem um exemplo perfeito para o caso do cinema, isso é válido para qualquer indústria.