No começo de maio, o Facebook anunciou mudanças em relação às políticas de publicidade ligadas a blockchain, criptomoeda e produtos e serviços financeiros com o objetivo de impedir publicidade enganosa na plataforma. Confira como as alterações funcionarão e de que modo você pode ajudar a deixar a rede social livre de conteúdos publicitários fraudulentos.

Políticas do Facebook para publicidade sofrem alterações

As políticas de publicidade do Facebook foram atualizadas em junho de 2018 para exigir que marcas que tivessem a intenção de anunciar produtos relacionados a criptomoedas, blockchain e outros serviços financeiros solicitassem uma aprovação por escrito do conteúdo antes da publicação na rede. Com isso, moderadores poderiam avaliar a qualificação dos anunciantes, incluindo quais licenças ele possuía, se eram negociadas na bolsa de valores e outras informações relevantes. Porém, essa nova política foi bastante questionada pelos usuários e o Facebook decidiu flexibilizá-la. Por meio de um comunicado, a rede social informou que a partir de 5 de junho de 2019 os anunciantes precisarão ser pré-aprovados apenas para conteúdos que promovam criptomoedas, mas anúncios relacionados a tecnologia de blockchain, notícias do setor e cursos ou eventos relacionados a criptomoedas não precisarão mais passar por avaliação prévia.

Conteúdos com comportamento predatório serão proibidos no Facebook

Essa atualização das políticas do Facebook terá efeitos nos anúncios que promovem contratos por diferença (CFDs), ofertas iniciais de moeda (ICOs) e anúncios para opções binárias. A partir do dia 5 de junho, as práticas promocionais desse gênero serão proibidas na plataforma. A equipe do site decidiu tomar essa decisão porque esses produtos financeiros são considerados muito complexos, normalmente associados a um comportamento predatório, e podem ser utilizados para enganar consumidores. "Queremos que as pessoas continuem descobrindo e aprendendo sobre novos produtos e serviços através de anúncios no Facebook, sem medo de fraudes ou decepções", afirma o diretor de gerenciamento de produtos do site, Rob Leathern. As novas regras valerão também para texto, direcionamento, posicionamento, imagens e conteúdos da página de destino do anúncio. Ou seja, se a publicidade direcionar o usuário para um site que apresenta um produto restrito nas políticas de publicidade e nos padrões da comunidade do Facebook, ela também será rejeitada.

Facebook mantém política de pré-aprovação para publicidade de criptomoedas

Apesar de flexibilizar a pré-aprovação por escrito em anúncios de tecnologia de blockchain, notícias do setor e cursos ou eventos referentes a criptomoedas, essa ação ainda é necessária para os anunciantes que pretendem promover produtos relacionados, como câmbio, hardwares e softwares de mineração. O Facebook justificou a decisão porque pretende manter o compromisso de impedir publicidade enganosa em suas plataformas, em especial na área de produtos e serviços financeiros. Portanto, segue exigindo que os anunciantes dessa linha passem por um processo de análise prévia.

Para evitar fraudes, Facebook incentiva denúncias

Ainda que tenha tomado medidas preventivas contra anúncios fraudulentos, o Facebook admitiu que não há como analisar o teor de todos os conteúdos publicitários. Por isso, pede que os usuários denunciem eventuais publicações que violem as políticas de publicidade da plataforma por meio do botão "Denunciar anúncio”, presente sempre no canto superior direito de qualquer postagem desse tipo.